CONSULTAS DIARIAMENTE das 8h/20h NA ACADEMIA - marcaões  Tel.226095706


Quando pensamos nas práticas médicas ocidentais assumimos que a capacidade do médico assenta numa ciência bem fundamentada quanto ao modo como o corpo funciona e quanto aos mecanismos que apresentam um funcionamento irregular no curso da doença. Assim, a prática da medicina que o paciente experimenta é baseada num firme fundamento de princípios científicos.Yin e YangO Yang será pois a expansão, a difusão; o Yin a condensação, a concentração. O yang corresponde ao céu e o yin à terra; As implicações desta observação aparentemente directa leva-nos numa direcção bastante contrastante com a lógica aristotélica que sustenta o pensamento científico ocidental. Vejamos um exemplo simples. No pensamento ocidental, um círculo é um círculo e não é um quadrado. As suas medidas e propriedades definem-no como um círculo. A medicina ocidental tenta não se afastar o mais possível do campo cientifico , sempre com um pensamento analítico. No entanto, a perspectiva chinesa de Yin e Yang, um círculo contém em si o potencial de um quadrado e vice-versa, evitando assim as dicotomias, podemos considerar uma medicina energética, de pensamento analógico. Yin e Yang são representados pelo símbolo, universalmente reconhecido mas tão raramente compreendido, diremos até que nada percebido. O yin e yang são pois relativos e não absolutos, a sua oposição é dialéctica e não dualista. São indissociáveis e um só pode definir-se em relação ao outro e vice-versa. Para manter a ênfase que a filosofia chinesa atribui ao processo em vez da estrutura, é importante compreender que o conceito de Yin e Yang descreve essencialmente as interacções dinâmicas que sustentam todos os aspectos do universo. Assim, Yin e Yang não devem ser considerados como “coisas”- algo palpável - no sentido ocidental do termo, mas como um sistema de pensamento acerca do mundo. O carácter para Yin traduz-se literalmente por “lado sombrio da montanha” e representa qualidades como o frio, a quietude, a passividade, a escuridão, o interior, o potencial, a origem, etc.
O carácter para Yang traduz-se literalmente por “lado luminoso da montanha” e representa qualidades como o calor, a actividade, a luz, o exterior, a expressão ,o que sustenta, etc. Seria correcto afirmar que, de acordo com a perspectiva chinesa, tudo tem existência no físico exactamente porque tudo manifesta simultaneamente qualidades Yin e Yang. A relativa ênfase de Yin e Yang poderá variar, mas ambos os aspectos estão sempre presentes. Por exemplo, quando considera os órgãos do corpo, o sistema chinês faz sobressair as duas qualidades. O fígado é geralmente considerado um órgão Yin, pois é bastante compacto, mas ele tem também a função de promover o fluxo de Chi; por isso, tem também uma qualidade Yang. O estômago, por outro lado, é oco e movimenta os alimentos; por isso é considerado Yang. No entanto, apresenta também um aspecto de aprovisionamento que representa a função Yin. Todos estes aspectos de Yin e Yang são fundamentalmente interdependentes. No interior de Yin e Yang, outros aspectos de Yin e Yang podem ser identificados. O extremo de Yin transforma-se em Yang, o extremo de Yang transforma-se em YinA interdependência de Yin e Yang aponta para a interacção dinâmica dos dois. A mudança está na base de todas as coisas, e esta mudança manifesta-se como Yang, que se transforma em Yin e vice-versa. Se os aspectos Yin e Yang são impedidos de alcançar o equilíbrio através deste processo de transformação mútua, então as consequências poderão ser catastróficas, já que, em última análise, o equilíbrio será alcançado de uma ou de outra forma. A medicina chinesa considera o organismo em termos dos aspectos Yin e Yang. O estado saudável é caracterizado por um equilíbrio dinâmico entre aspectos Yin e Yang do organismo e, consequentemente, um estado não saudável é caracterizado por uma certa dose de desequilíbrio entre Yin e Yang no organismo.Os cinco movimentos (elementos) na medicina chinesaAs origens filosóficas de todo o pensamento chinês em geral, e da medicina chinesa em particular, cresceram a partir do Taoísmo. O Taoísmo baseia grande parte do seu pensamento na observação do mundo natural e na maneira como ele actua. Na medicina chinesa isso conduz a uma visão metafórica do corpo humano baseada na observação dos intercâmbios de Yin e Yang no mundo natural. Os chineses observam que por toda a parte existe intercâmbio dinâmico. Os Cinco movimentos surgiram de uma observação dos vários grupos de processos dinâmicos, funções e características que ocorrem no mundo natural. São eles: Estas características são meros exemplos de como podemos considerar os movimentos, mas o aspecto mais importante é que todos eles contêm simultaneamente Yin e Yang, reflectindo assim este princípio fundamental de dualidade mutuamente interactiva tão central no pensamento chinês. Acupunctura Na verdade os Chineses têm vindo a usar e a aperfeiçoar as técnicas da acupunctura ao longo de mais de 3000 anos com sólidos e notáveis efeitos. Tal como foi anteriormente sugerido, parece que os pontos de acupunctura oferecem acesso ao fluxo de energia do corpo, e, quando esses pontos são estimulados pela inserção de finas agulhas de aço, certas mudanças energéticas e físicas ocorrem no organismo. Um tratamento poderá implicar inicialmente entre dez e quinze tratamentos , em que os quatro ou cinco primeiros devem ser o mais seguidos possível. A exacerbação de sintomas é uma característica bastante comum do tratamento de acupunctura. Assim, o paciente poderá considerar que, no tratamento a curto prazo, os sintomas pioram em vez de melhorar. O Médico avisará sempre o paciente desta possibilidade no início do tratamento. As sensações causadas pelas agulhas variam desde a dor imprecisa até um “formigueiro”. Em alguns casos, a sensação desloca-se ao longo da linha do meridiano e pode afectar áreas inteiras do corpo ou dos membros. Isto pode provocar sensações de peso nos membros. O paciente poderá sentir-se um pouco cansado ou sem forças logo a seguir ao tratamento, mas normalmente isso passa rapidamente. No entanto, as reacções das pessoas em relação á acupunctura variam, e alguns dos efeitos podem ser mínimos ou totalmente ausentes em alguns pacientes. Moxabustão como a moxabustão dá calor ao organismo, é claramente contra-indicada em condições de calor interno, e embora possa ser útil em condições de excesso externo nos canais, geralmente não é usada para condições de excesso interno. Ventosas As ventosas são feitas de vidro ou de bambu. Outros materiais têm sido usados, mas o tipo mais comum de ventosa usada hoje em dia é de vidro. Naturalmente, as ventosas puxam o sangue para os capilares mais exteriores do corpo e, por isso ,em alguns casos, pequenos vergões ou contusões poderão resultar do tratamento. Se o médico optar por este tipo de tratamento, o paciente deve ser avisado sobre possíveis consequências resultantes. A massagem é largamente usada na medicina chinesa, e várias técnicas diferentes foram desenvolvidas como parte da evolução da medicina chinesa em geral. Em chinês, a massagem é designada An Mo - An significa “empurrar”, e Mo - “esfregar”, ou Tui na - pressionar, carregar. Este tipo de massagem consiste na pressão em pontos de acupunctura específicos, a fim de obter mudanças específicas no organismo, tonificar, reduzir ou produzir um efeito mais neutro e calmante. A massagem pode ser usada em conjunção com outras formas de tratamento na medicina chinesa. A par da acupunctura, a fitoterapia constitui um pilar importante da medicina chinesa. As preparações de plantas são desde há muito usadas na medicina chinesa, e é possível encontrar uma Materia Medica completa datada do ano 650. Á medida que o conhecimento foi aumentando ao longo dos séculos, foi sendo reunida cada vez mais informação relativa ás plantas e ás suas propriedades.
· Quente (he)
· Fria (han)
· Morna (wen)
· Fresca (liang)
· Neutra (ping)
· Acre (xin)
· Doce (gan)
· Amarga (ku)
· Ácida (suan)
· Salgada (xian)
Assim, quando um médico de mtc faz um diagnóstico, haverá uma descrição da desarmonia em termos dos Zangfu (orgão/viscera) afectados e dos Padrões dos Oito Princípios. Um vez decidido o tratamento a efectuar, o médico selecciona as plantas e as combinações de plantas adequadas á obtenção dos resultados desejados. As plantas podem ser preparadas na forma de infusões, pós, comprimidos, xaropes e emplastros para aplicação externa. Os remédios á base de plantas podem ser muito eficazes em muitos casos, mas é essencial que todas as receitas sejam prescritas por um médico de medicina tradicional chinesa inteiramente qualificado.

Nas patologias abaixo indicadas a Medicina Chinesa actua com grande sucesso:

Afasia Amenorreia Amigdalite
Anorexia Ansiedade Impotência
Artrite Reumatóide Asma Asma Brônquica
Bronquite Bursite Depressão
Cefaleias Conjuntivite Aguda Constipação
Contracturas Controlo da dor aguda Diarreia
Dismenorreia Dor Ciática Dor Dentária
Dores Menstruais Dores Musculares Eczema
Efeitos Secundários da Quimioterapia Enxaqueca Enúrese
Epicondilite (Cotovelo de Tenista) Espasmos Musculares Faringite
Fibromialgia Fobias Gengivite
hemiparésia Herpes Zoster Incontinência Urinária
Indução da Ovulação Infertilidade Insónia
Lombalgia Metrorragia Miopia
Neuropatia Periférica Nevralgia Intercostal Nevralgia Trigémio
Nevralgias Obstipação Osteo-Artrite
Pânico Paralisia Facial Parestesias
Periartrite Escápulo-Umeral Prurido Recuperação de Sequelas de Acidente Vascular Cerebral
Recuperação Pós Parto Relaxar no Parto Rinite
Síndroma de Meniére Síndroma do Túnel Cárpico Síndroma Pré-Menstrual
Sintomas de Menopausa Sinusite Sinusite Alérgica
Tendinite Tiques Toxicodependências (drogas, álcool e tabaco)
 Tremores Urticária  Zumbido